4 formas de melhorar a sua mobilidade

Mesmo com um treino regular, muitas pessoas costumam fazer movimentos que estimulam pouco a amplitude e capacidade articular. Este tipo de comportamento pode afetar futuramente a mobilidade.

Da mesma maneira, passar muito tempo sentado a trabalhar, estudar, assistir TV ou a mexer no telemóvel cria uma postura incorreta. O que consequentemente, leva a uma perda gradual da capacidade de se mover.

Podemos definir a mobilidade como a capacidade realizar movimentos nos ângulos e graus que as articulações possam atingir.

Neste artigo iremos explicar a importância de se exercitar, além de enumerar 4 exercícios que vão melhorar os seus movimentos. Acompanhe!

Mobilidade: Conheça a importância e 4 maneiras de melhorá-la

A mobilidade nada mais é do que a habilidade do sistema neuromuscular de executar os movimentos de uma ou mais articulações em grandes amplitudes e de maneira eficiente.

Para isso, é preciso que o indivíduo tenha uma boa flexibilidade dos tecidos moles e uma capacidade de articular os movimentos.

A principal importância encontra-se no facto desta característica ser necessária para a execução dos movimentos totalmente funcionais. Isso significa que possibilita que as ações sejam realizadas sem dores, lesões ou desequilíbrios.

1 – Fatores que podem ocasionar mobilidade diminuída

A melhor maneira de verificar as condições dos seus movimentos é através de uma avaliação profissional.

Desta maneira será possível analisar a real situação e relacioná-la com o fator que pode estar a criar a diminuição ou falta de amplitude.

Alguns dos principais motivos que podem estar associados são:

  • Sedentarismo: As pessoas passam a maior parte do tempo sentadas, o que é extremamente prejudicial.
  • Envelhecimento: A idade traz consigo alterações no corpo, que levam a rigidez articular. Isto limita ainda mais o indivíduo no que se refere a levar uma vida saudável e livre de dores.

2 – Os benefícios em trabalhar o corpo para garantir uma boa mobilidade

A importância dos movimentos físicos também se encontra nos inúmeros benefícios que proporciona, tais como:

  • Correção de desequilíbrios musculares
  • Diminuição da tensão excessiva dos músculos e manutenção da funcionalidade
  • Alívio do stress nas articulações
  • Melhoria na eficiência neuromuscular e, consequentemente, na função motora

As principais regiões que devem ser trabalhadas para uma boa movimentação física são os tornozelos, quadril e coluna.

Os tornozelos são fundamentais para:

  • Desenvolvimento de uma marcha adequada
  • Realização de bons padrões de movimento dos membros inferiores
  • Boa estabilidade de joelhos e quadril

Já o quadril permite os:

  • Movimentos de flexão, extensão, abdução, adução, rotação interna e externa
  • Suporta o peso do tronco
  • Dissipa as forças para os membros inferiores

Por fim, a rigidez na coluna pode ser a causa de dores na região cervical, lombar e nos ombros.

4 exercícios para trabalhar e melhorar os movimentos

Conheça agora 4 exercícios fáceis, mas que ajudam, e muito, na melhoria dos movimentos do corpo.

1 – Flexão do quadril e rotação externa

Fique de frente para uma superfície plana não mais alta que a parte superior do joelho, como um sofá, cama ou mesa.

Coloque o pé esquerdo no suporte e gire o joelho externamente até o fim, para que a parte externa da panturrilha e da canela fique plana contra a superfície.

Lentamente, estique a perna direita para trás e incline-se suavemente para a frente sobre a perna rotacionada externamente. Assim cria espaço no quadril e afrouxa o glúteo. Aguente durante dois minutos e depois troque as pernas.

2 – Mobilização torácica

Deite-se de costas, com os pés no chão e os joelhos dobrados, como se estivesse a preparar-se para fazer abdominais. Coloque um rolo pequeno de espuma de baixo das costas, na mesma altura das costelas. Role suavemente para cima e para baixo.

3 – Mobilização do quadril

Comece sentado numa mesa, cama ou outra superfície com os pés pendurados para a frente. Deite-se e deixe as pernas balançarem.

Coloque um joelho no peito e aperte-o em direção ao corpo, enquanto a outra perna balança. Deve sentir o movimento nos flexores do quadril da perna pendurada.

4 – Balanço das pernas

De pé, fique paralelo a uma parede, árvore ou algo semelhante. Equilibre-se contra o objeto com um braço.

Comece a balançar a perna externa para frente e para trás, aumentando gradualmente a amplitude do movimento à medida que balança. Continue durante 45 a 90 segundos e depois troque as pernas.

Faça estes exercícios diariamente e trabalhe de forma a evitar o aparecimento de dores e outros problemas relacionados à redução da mobilidade.